UFSC » Laboratório de Figurinos » História da Moda: 100 anos (1991-2000)
Empréstimos, pesquisas e conservação de figurinos.

História da Moda: 100 anos (1991-2000)
EMail
Publicado em 06/02/2014 às 17:20

Do livro “Um Século de Moda” do professor e historiador de moda João Braga.

 

1991

Christian Louboutin

Em 1991, foram criadas duas marcas de artigos de moda que se consolidariam: Christian Louboutin (foto) e Philip Treacy. Louboutin trabalhou com Roger Vivier (grande e renomado designer francês de calçados), e iniciou-se no setor calçadista. Logo abriu marca própria em Paris, em 1991. Sua marca registrada é a sola em cor vermelha. Philip Treacy é outro nome de grande expressão na moda, com sua marca de chapéus também lançada em 1991, ano em que criou também para a Casa Chanel. Ganhou fama e criou (e ainda cria) tanto para famosos como para cabeças coroadas.

Foto: Getty Images

 

1992

Grunge

Uma grande mudança de moda e comportamento surgiu em 1992, quando o estilo grunge deixa de ser uma proposta do underground e migra para o mundo da moda. O grunge surgiu em Seattle (USA) com bandas de música locais e que muito eram promovidas pela MTV, especialmente o Nirvana, tendo Kurt Cobain (foto). Como proposta visual de moda, o grunge usou peças sobrepostas e descoordenadas, roupas largas, valorizou a camisa de flanela xadrez amarrada à cintura, jeans rasgados, botas de couro e gorros de tricô.

Foto: Getty Images

 

1993

Top models

No início dos anos 1990, as modelos internacionais de moda ganharam um prestígio tal que foram elevadas ao título de supermodelos. Esta realidade — um processo — foi importante e por isso o ano de 1993, em pleno apogeu desse conceito, é o mais apropriado para tratar desse fenômeno tão significativo para a moda na última década do século 20. A história tem início com a ideia de modelo exclusiva. Modelos ganharam então o adjetivo de top model e nomes como Linda Evangelista, Claudia Schiffer, Cindy Crawford, Naomi Campbell, Christy Turlington, Kate Moss, que se tornaram verdadeiras estrelas, recebendo altas cifras para desfilarem ou mesmo posarem para fotografias.

Foto: Getty Images

 

1994

Phytoervas Fashion

Em 1994 houve a primeira edição do Phytoervas Fashion, evento de moda patrocinado por Cristiana Arcangeli (foto), que era proprietária da marca homônima de cosméticos, em São Paulo. A ideia era criar um evento para lançar e promover a carreira de jovens e novos talentos da moda nacional. Paulo Borges foi convidado para fazer a produção deste evento. Envolvendo inúmeros outros profissionais da moda, a primeira edição do Phytoervas aconteceu em 1994 com desfiles das coleções de Walter Rodrigues, Alexandre Herchcovitch e Sônia Maalouli (da marca Cia. do Linho).

Foto: Cristiana Arcangeli/ AgNews

 

1995

Academia Brasileira da Moda

Poucos sabem, mas existe a Academia Brasileira da Moda, criada e tornada pública no Rio de Janeiro, em novembro de 1995. A Academia fica hospedada no Instituto Zuzu Angel (IZA) e foi concebida pela jornalista Hildegard Angel Bogosian (foto), que ocupa a cadeira nº 1 e que tem como patrona sua mãe, a estilista Zuzu Angel. A estilista Mena Fiala, um dos primeiros e principais nomes de destaque da História da Moda no Brasil, foi quem desenhou o fardão para os agraciados. Hoje, 25 membros fazem parte, entre eles Gloria Kalil, Eloysa Simão, Costanza Pascolato, Paulo Borges, Ronaldo Fraga.

Foto: Hildegard Angel/ AgNews

 

1996

MorumbiFashion Brasil

O ano foi marcado pela Biennale della Moda, que ocorreu na cidade de Florença, na Itália. Foi um festival de cultura contemporânea abrangendo diversas áreas criativas e seus diálogos com a moda, artes visuais, design, arquitetura, fotografia, cinema, música e comunicação. No Brasil, no mês de julho, surge a primeira edição do MorumbiFashion Brasil, que, em 2001, se transformou em São Paulo Fashion Week.

Foto: Bruno Santos/Terra

 

1997

Semana de Moda no Brasil

Entre os acontecimentos significativos está a abertura da butique Colette, em Paris, com o objetivo de lançar moda, divulgar conceitos, descobrir jovens estilistas com seu comércio. No Brasil, no mês de maio, André Hidalgo lançou a “Semana da Moda” com o intuito de reunir jovens talentos e lançar suas coleções, que se tornou a Casa de Criadores em julho de 2000. Na foto, desfile da Casa de Criadores em 2013.

Foto: Getty Images

 

1998

Norte-americanos na Europa

Foi no fim do século 20 que grandes nomes da moda norte-americana se deslocaram para a Europa para trabalhar em casas tradicionais de moda, como Marc Jacobs (foto), que é diretor de criação da Louis Vuitton desde 1997.

Foto: Getty Images

 

1999

Grupos empresariais

João Braga lembra que o fim do século 20 apresentou uma nova realidade no mundo da moda, a de grandes grupos empresariais adquirirem nomes de tradição e suas respectivas linhas de produtos. Em 1999, o grupo francês PPR (Printemps-Pinault-Redoute), cujo CEO é Francois-Henri Pinault (foto), adquiriu a marca italiana Gucci e também o grupo Sanofi Beauté, que já era proprietário da marca YSL.

Foto: Getty Images

 

2000

Mistura

A moda do fim do século 20 foi tão diversificada que não houve um senso comum para adjetivá-la. Contou com mistura de identidades, conceitos, tribos, comportamentos, propostas e tendências. Mesmo havendo outros centros lançadores e divulgadores de moda, Paris continuou (e continua) sendo o centro que legitima toda a moda internacional.

Foto: Getty Images

  • Administradores do Site
  • 1960 - 2015 - Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) | Central Telefônica - (48) 3721-9000 |
  • Última atualização do site foi em 08 de dezembro 2016 - 17:53:00